19 de mai de 2015

NÃO CONSIGO PARAR DE COMPRAR!

Consumismo compulsivo: Saiba identificar e fique de fora dessa


A pouco tempo eu parei para analisar as minhas compras e o que eu percebi me assustou... Eu comprava muitas coisas iguais ou muito semelhantes, calça jeans eu tenho umas 15, e dessas 15 eu devo usar umas 3, camisetinhas tenho várias que a maior parte eu nem lembro de usar porque eu sempre acabo usando as mesmas roupas, que eu considero as minhas favoritas.
E eu percebi que nesse meus 4 anos de compras sem pensar, eu sempre, mais sempre mesmo... comprei muita sapatinhas, calças e camisetinhas, ou seja a pouco tempo fui ver que eu não tenho mais tênis, mais tenho uma coleção de sapatinhas e mocassim!

Resolvi pesquisar um pouco mais a fundo sobre o tema, e eu percebi que na verdade eu não sou compulsiva e sim impulsiva, porque muitas vezes eu estou na fila vejo, algo na promoção, e acabo comprando.
Em minhas pesquisas descobri que consumismo compulsivo, passa das comprinhas saudáveis, e pode estar correlacionado com carências emocionais e dificuldades nos relacionamentos interpessoais.

Então vamos lá! como identificar o nível de consumo que você está, e ficar fora da zona de perigo.


Esse “Transtorno” afeta mais ao sexo feminino e pode causar alto prejuízo financeiro, além de é claro: culpa. Sem contar os casos mais graves em que terminam relacionamentos (como casamentos sólidos de anos..) causam depressão, ou é preciso o uso de medicamentos quando o hábito se torna um vício grave, como quase um “toc”.



Como saber se estou nesse estágio?


Comprar coisas muito desnecessárias, sair pra comprar sempre que estiver triste/decepcionada com algo (já que o consumo causa alívio momentâneo da angústia), gastar mais do que se ganha, se arrepender logo depois da compra e comprar produtos repetidos, são sérios sinais de alerta de um problema mais grave.



Como se controlar

Sei que é difícil, mais tente pensar em quanta diferença aquilo realmente fará na sua vida. A longo prazo, e o quanto aquilo estará pesando no seu bolso. Também vale se perguntar se está realizando a compra porque realmente deseja/precisa ou por algum motivo terceiro do tipo: querer ter porque todo mundo tem / as pessoas vão gostar mais de você se você tiver.


O supérfluo e o consumo são saudáveis até o ponto em que não prejudiquem nenhuma outra área da sua vida em nada, ou a sua saúde mental.

Agora uma ótima dica de filme, que fala sobre isso:
Ps. É meu filme favorito!

Os delírios de consumo de Becky Bloom Nova York.

"Rebecca Bloomwood (Isla Fisher) é uma garota que adora fazer compras e seu vício a leva à falência. Seu grande sonho é um dia trabalhar em sua revista de moda preferida, mas o máximo que ela consegue é um emprego como colunista na revista de finanças publicada pela mesma editora. Quando enfim seu sonho está prestes a ser realizado, ela repensa suas ambições."

2 comentários:

  1. Eu estou tentando, diminuir meus gastos, mais é muito difícil, já assisti esse filme diversas vezes e sei que tenho um problema, porém, ao mesmo tempo que eu sei que tenho esse problema eu tenho medo de procurar a solução porque não saberia como canalizar os meus sentimentos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto você não estiver aberta para essa mudança, isso não vai ocorrer mesmo. O mais importante é que você já identificou que tem um problema!
      Tudo tem seu tempo, quando você estiver preparada, pode ter certeza que contará com muito apoio.

      Excluir